JPG, PNG, GIF e BMP; veja as diferenças entre os principais formatos de imagens

  1. JPG

 JPG, PNG, GIF e BMP; Entenda a diferença entre eles e saiba escolher a extensão certa para a sua imagem

JPG, PNG, GIF e BMP; com certeza alguma vez já deve ter acontecido de um programa de computador lhe propor a seguinte questão: “Em que formato você deseja salvar a imagem?”. E, abaixo, uma longa lista de extensões, como .jpg, .png e mais uma sopa de letras. E então você acabou escolhendo qualquer um deles, ou escolhendo JPG porque era o mais leve.

Mas esses formatos todos de imagem não existem apenas para te confundir. Cada um deles tem suas vantagens e desvantagens, e em algumas situações pode ser importante saber qual deles você deve usar. Por isso, fizemos esta pequena lista para ajudar você a entender as diferenças que existem entre os principais formatos de arquivos de imagem – e qual deles você deve usar para cada ocasião. Confira:

1. BMP

BMP é uma abreviação de “Bitmap”, ou mapa de bits. Esse nome é quase literal, porque uma imagem em formato .bmp é basicamente um arquivo que descreve quantos pixels a imagem tem, e qual é a cor de cada pixel. Para fazer isso, o arquivo inclui, para cada pixel da imagem, três valores: um para luz vermelha, um para luz verde e um para luz azul. Cada um desses valores pode ser de 0 até 255; um pixel no qual os três valores são 0 será preto, e um no qual os três sejam 255 será branco. Alterando esses valores, é possível que cada pixel da imagem tenha uma dentre 16.777.216 cores diferentes.

Os valores de cada luz variam de 0 a 255 porque cada um deles tem oito bits (ou um byte). Assim, cada pixel de uma imagem .bmp tem três bytes. Por ser um formato muito “literal”, que praticamente descreve a imagem para o computador, o formato .bmp tem ampla compatibilidade: praticamente qualquer sistema consegue reproduzir uma imagem .bmp. A principal vantagem do BMP é essa compatibilidade

O problema é que ele é muito pesado. Imagine uma imagem de 800 por 600 pixels; ela terá 480 mil pixels; se cada um dele tiver 3 bytes, a imagem final terá cerca de 1,44 megabyte, o que é espaço demais para uma imagem desse tamanho. E mais: se a imagem for extremamente simples, como um retângulo branco, ainda assim o arquivo continuará sendo enorme.

2. JPG

Primeiramente, o significado: JPG é um encurtamento da sigla JPEG, que significa “Joint Photographics Experts Group” – o nome de uma organização de fotógrafos que criou o formato. Ele é um dos formatos mais usados na internet, e o motivo para isso é simples: em comparação com o .bmp, que era o formato mais usado na internet antigamente, ele economiza muito espaço.

Para fazer isso, ele divide a imagem em blocos de oito por oito pixels e compara cada um a um dos 64 padrões representados na imagem abaixo. Em seguida, determina qual o “peso” de cada um desses padrões em cada bloco.

Então o tamanho reduzido é a principal vantagem dos arquivos JPG. A desvantagem é que o tipo de compressão que ele usa funciona melhor para fotos. Uma foto em .bmp tem muito poucas vantagens sobre essa mesma foto em .jpg, mas é muito mais pesada, e por isso .jpg é mais recomendado. Mas se você pegar imagens gráficas, como logos de empresas e desenhos, você geralmente acaba ficando com distorções muito perceptíveis.

3. PNG

A sigla .png significa “Portable Network Graphics”, algo como “gráficos portáteis de rede”, e, como o nome indica, ela foi criada para facilitar a troca de imagens pela internet. Assim como o .jpg, esse formato usa compressão para reduzir o peso dos arquivos; diferentemente de .jpg, no entanto, o tipo de compressão que o .png usa não implica tanta perda de qualidade – especialmente no caso de arquivos gráficos.

Naturalmente, como a compressão não é tão danosa, a imagem final acaba ficando mais pesada do que se ela estivesse em formato .jpg – mas ainda é mais leve do que um .bmp, por exemplo. Com uma mistura de imagens em .png e .jpg, você consegue, por exemplo, deixar um site muito mais leve sem quase nenhuma perda perceptível de qualidade.

Mas a principal vantagem das imagens .png é que o arquivo também tem suporte a transparência. A transparência normalmente é indicada, em editores de imagem, como um quadriculado. Tudo que estiver quadriculado no editor será mostrado como transparente no arquivo, o que significa que ele terá a cor do plano de fundo do site ou da imagem. É fácil perceber que essa característica torna o formato .png bem interessante para designers de sites.

Portanto, são duas as vantagens dos arquivos .png: o bom equilíbrio entre peso e qualidade, de um lado, e o suporte a transparências, do outro. Mas esse primeiro ponto também pode acabar sendo uma fraqueza: se a imagem exige muita qualidade, pode ser melhor usar outro formato, e se ela precisa ser leve, pode ser melhor usar .jpg mesmo. Vale a pena ter isso em mente.

4. GIF

Uma característica dos GIFs você com certeza já conhece: eles podem ter vários quadros animados, o que permite que funcionem como pequenos vídeos leves e repetitivos. Essa característica fez com que o formato .gif se tornasse um dos mais amados da era pós-banda larga da internet (antes da banda larga, sites com muitos GIFs ficavam pesados demais).

Mas animação é apenas uma das características dos GIFs. A sigla significa “Graphics Interchange Format”, ou “formato de troca de gráficos”. O formato veio antes do .png e sua intenção era justamente suprir a deficiência da compressão .jpg para arquivos gráficos. Ele também usa compressão, mas de uma maneira otimizada para gráficos, como logos e desenhos.

Acontece que, como era voltado para esses tipos de imagens, ele tem algumas limitações na hora de mostrar vídeos ou fotos de coisas reais. A mais notável delas é que os GIFs só têm suporte para um máximo de 256 cores, o que é suficiente para gráficos, mas bem insuficiente para vídeos e fotografias. Essa limitação é o motivo pelo qual de vez em quando aparecem uns GIFs com cores estranhas e pontilhados.

Por esse motivo, um novo formato chamado APNG (ou “Animated PNG”) vem se popularizando. Ele acaba com essa limitação de cores e ainda acrescenta suporte a transparências. A Apple começou a usá-lo no iMessage com o iOS 10, e o Google recentemente tornou o Chrome compatível com esse formato. Mas o reinado do formato GIF ainda deve permanecer por mais algum tempo.

Via: Olhar Digital

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *