Tudo o que você precisa saber para fazer um bom Brainstorming

  1. brainstorm

Brainstorming é um dos primeiros passos à serem feitos na etapa de problematização

Olá, pessoas!

Brainstorming (tempestade de ideias do inglês) é uma dinâmica que tem finalidade de resolver problemas ou gerar ideias com o máximo de relações possíveis. Essa técnica pode ser usada em grupo ou individualmente, mas em grupo a quantidade de informações pode ser maior. Dentro desse processo de gerar ideias, qualquer tipo de ideia pode ser aceita, mesmo as mais absurdas.

Pode ser aplicada em vários projetos de design, mas para diferentes áreas também. De toda a forma, esse processo é bastante proveitoso e pode ajudar muito na criação de um artefato de design.

No briefing de um projeto, o brainstorming é um dos primeiros passos à serem feitos na etapa de problematização, pois ele pode ajudar a definir os conceitos e caminhos para serem seguidos.

COMO FAZER?

Existem muitas formas de se fazer um brainstorming. As maneiras variam de reuniões até ferramentas que auxiliam o processo. Quando feita em grupo, a equipe (que pode ser de no mínimo 2, mas atenção pra não envolver muita gente e gerar ‘bagunça’) se reúnem em um espaço para ir gerando ideias.

Antes da reunião, os participantes já fazem um brainstorming pessoal (essa etapa nós podemos chamar de reunir ideias) e reúnem alternativas que vão servir para completar complementar os leads gerados por todo o grupo. Na segunda fase, mas ainda em grupo, os participantes se reúnem e começam a apresentar o que pensaram.

Qualquer tipo de ideia pode surgir nessa fase, até mesmo as mais alusivas (e geralmente essas são muito boas), e é importante que todas sejam levadas a sério. Às vezes, uma ideia não é totalmente descartada, mas sim, modificada e pode se tornar um conceito pertinente, mas isso vai depender da equipe e do protótipo. Se a equipe discutir bem, pode ser que algumas ideias iniciais sejam alteradas se tornando boas para a concepção.

Imagem: Fotolia da Adobe

Na fase de definir um rumo criativo, todas as ideias são postas à mesa e é feita uma análise das mais relevantes para o projeto. Uma longa discussão é feita para saber quais palavras/ideias são importantes para a construção do projeto. Aquelas que não tem relevância são descartadas e ficam apenas as que realmente farão diferença para o processo. Nessa fase podem ser usados papéis com cores diferentes para diferenciar as melhores e ‘piores’ ideias, assim como qualquer tipo de destaque que as ideias principais precisam ter.

Por último, o grupo começa a associar aquelas palavras/ideias a imagens e/ou rabiscos que podem ser fundamentais para o processo de entendimento do problema. Esses desenhos já podem ser usados em outras fases da problematização e definição do briefing. As associações às palavras podem ser inseridas nessa fase, de forma que uma coisa pode representar outra, mas não necessariamente dessa forma; já que uma palavra pode se associar a outra com um sentindo diferente.

Imagem: Fotolia da Adobe

 individualmente, o brainstorming pode ser feito de forma semelhante a em grupo. O designer pode colocar palavras aleatórias relacionadas com o produto/serviço que será criado ou melhorado, a diferença é que a quantidade de palavras pode ser menor que em grupo. No entanto, existem ferramentas que podem auxiliar na criação. Citarei 2 que são fundamentais para a construção de uma tempestade de ideias.

O Realtime Board é uma ferramenta online que tem o formato de uma grande lousa branca, na qual o usuário pode postar arquivos e organizá-los, fazendo anotações ou desenhos da maneira que preferir. Os quadros de brainstorming criados no site podem ser compartilhados com outros usuários de maneira pública ou privada. Na plataforma, temos diversas formas de analises que são: Planejamento visual, serviço e Design de produto, telas, Brainstorming e analise de negócios.

__

Outra ferramenta que pode ser utilizada é o Lucidchart, ela permite a criação de gráficos e outros tipos de organizadores. Com uma interface simples, o site só exige que o usuário selecione os itens dos menus e arraste-os para a tela.

Existem outras ferramentas que auxiliam no processo, mas essas são suficientes para obter bons resultados.

Imagem: Fotolia da Adobe

O brainstorming pode ser usado na metodologia de design para gerar alternativas para o fechamento de um briefing. Por exemplo, se o designer precisa criar uma marca, ele pode usar o brainstorming para gerar conceitos que definem aquela marca. Mesmo que sejam palavras aleatórias, as associações podem vim a ser um conceito que pode ser remodelado se tornando um caminho para se trabalhar futuramente. Todo briefing, independente do projeto de design, é um problema que precisa ser bem definido para que o projeto funcione corretamente. Pode ser adotado para qualquer tipo de projetos (interfaces, logos, produtos e etc.), sendo uma das principais formas de se gerar ideias que sejam relevantes (ou não) para a problematização e futuramente, o resultado final do artefato.

E aí, tem algo a complementar? Vacilei em algum ponto? Fala aí nos comentários e vamos trocar ideias.

Abraços!

Via: DesignCulture

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *